top of page

Camila Affonso analisa melhores práticas para otimizar custos com Logística Reversa

Um dos maiores desafios do varejo hoje é oferecer um serviço de troca e devolução que tenha impacto positivo na jornada do cliente sem onerar demais os custos com logística reversa.


O artigo publicado pela revista Mundo Logística, redigido por Camila Affonso com a colaboração de Eduardo Muniz, mostra que esta é uma equação difícil, mas não impossível de solucionar.


Por um lado, os consumidores estão cada vez mais exigentes em relação à política de troca e devolução, o que impactar diversos indicadores, como o lifetime value (LVT) dos clientes. Este conceito estima o total do valor gasto pelo consumidor na empresa ao longo de sua vida. Ao comprar um item com a segurança de que poderá devolvê-lo caso necessário amplia a probabilidade de novas compras futuras.


Já para o varejista, o custo com a logística reversa é alto: além do transporte, os produtos devolvidos ocupam 20% mais espaço, sendo que metade acaba sendo descartada e a outra metade demanda uma equipe especializada para realizar a triagem, limpeza, pequenos reparos e etiquetagem. Mas é possível conciliar um alto nível de serviço com custos controlados utilizando estratégias inteligentes e inovadoras no planejamento global da cadeia logística.





Comentários


bottom of page